.papo .

É papeando que a gente se entende. Enquanto formulas ideias, olho teu olho piscar e tua boca se mexer. Não fico reparando nos fios de cabelo fora do lugar ou na alça da blusa que cai. Só ouço ta voz e, feito esponja, absorvo-te. A gente fala tanto sobre sentimento e a vida. Poque amigo é pra essas coisas: discutir alma, barrigas, umbigos e espaços. Um bom amigo que ouve e se deixa ouvir preenche minhas lacunas com sorrisos, para que eu possa nos inundar de abraço. Pra mais devaneios, só falta mesmo um copo (ou dois) de cerveja bem gelada. Do sério ao superficial. Porque a vida nos liga uns aos outros por todas essas coisas: política, ficção, sensação e brincadeira. Amizade é, antes de tudo, isso: redoma de papo sincero. Não há nada que eu aprecie mais…


Que esse novo espaço inspire muitas conversas pessoais, verdadeiras, significativas e presenciais. 

Comentários

Comentários