.formiga.me pra acreditar que juntos somos realmente mais fortes.

Um amigo meu disse certa vez que o Facebook havia se tornado um muro de lamentações. Não há como negar que essa é uma definição que cai muito bem à essa e a outras redes sociais também. Grande parte das postagens são memes contra alguma situação, contra alguma pessoa, contra alguma decisão política, contra o jeito que as coisas estão. Longe de mim dizer que tá tudo ótimo, tudo maravilha. Mas essas ondas de reclamações e manifestações de ódio, me parecem ocupar um espaço importante de ação. Há um provérbio chinês que diz: “O pessimista reclama do vento, o otimista espera que ele mude, o realista ajusta as velas”.

É desanimador olhar ao redor e perceber que tá todo mundo preocupado com o próprio bolso, olhando para o próprio umbigo, como se o mundo realmente girasse ao redor das necessidades individuais. É realmente triste ver que tem ódio entrando onde deveria caber amor, e que o queixume real e virtual de algum modo acaba por isentar as pessoas de suas próprias responsabilidades para com sua vida, seu bairro, cidade, estado, país, mundo. É triste e desanimador. Fato. Mas esse recorte não representa todo mundo.

E é exatamente aqui onde quero chegar. Tem muita gente fazendo coisas legais no mundo. Muita gente mesmo! Tem muita gente, muito grupo, muita organização fazendo arte, plantando ideias e colhendo frutos disso apesar de. Apesar da falta de atuação do governo, apesar das mazelas sociais, apesar da crise da água, apesar do ódio que nos cerca, apesar dos pensamentos retrógrados e preconceituosos.

Pensando nisso de alimentar esses pensamentos, ideias e motivações positivas, Fernanda Carpegiani e Carmen Guerreiro criaram um projeto lindo: o Formiga.me, um site de conteúdo sobre iniciativas que transformam espaços públicos em cidades do mundo inteiro, com boas ideias que melhoram a vida do cidadão urbano para inspirar mais pessoas a fazer o mesmo em suas comunidades.

Pra definir o porquê e o como do projeto, a Fernanda e a Carmen falaram comigo. Didaticamente e cheia de amor, a Carmen explicou que “a ideia do Formiga.me surgiu de algumas vontades. A primeira era mostrar como pequenas atitudes inseridas no cotidiano de cada um fazem diferença no todo. Outro desejo era criar uma forma de estimular a ação, indo além da reportagem que a pessoa lê, no máximo compartilha nas redes sociais e pronto“.

O lema das meninas e do Formiga.me é “MENOS MIMIMI E MAIS MÃO NA MASSA”. Precisa dizer mais o quê?

Precisa dizer que, de acordo com a Fernanda, “o Formiga.me é também a realização de um sonho“. Depois de pedir demissão do emprego em uma revista mensal para buscar um trabalho que fizesse mais sentido para ela, o movimento de pessoas que estavam ocupando praças e espaços públicos e devolvendo a cidade para as pessoas, para as comunidades passou a ser cada vez mais atrativo. “Eu mesma participei de ações do coletivo Ocupe&Abrace, que cuida e revitaliza a Praça da Nascente, na região da Pompeia. E quando encontrei a Carmen, por um desses acasos (ou não) da vida de jornalista freelancer, já estava há algum tempo matutando sobre um projeto de site com reportagens sobre iniciativas de ocupação do espaço urbano. Ela tinha tido a mesma ideia e já estava com o site pronto! Só precisava começar a produzir o conteúdo. Foi aí que o Formiga.me virou realidade, a partir da junção de duas formiguinhas que pensaram juntas em como é importante encontrar formas de viver melhor na cidade“, diz Fernanda.

Pra fazer isso funcionar de verdade, elas colocaram em prática o lema do “menos mimimi, mais mão na massa” e lançaram o site, junto com a campanha de financiamento coletivo. Ou seja, todo mundo que acredita que uma ação positiva leva a muitas outras ações positivas e que acha que participação significa ação e não só reclamação pode ajudar o Formiga.me a crescer, alavancar formigueiros e contribuir para que mais coisas legais aconteçam.

Nas palavras de Carmen: “Muita gente acha que é uma gota no oceano, e que isso não muda nada para o bem ou para o mal. Mas somos seres sociais, então as pessoas agem pelo exemplo – e isso pode ter um efeito multiplicador, para o bem ou para o mal. Criar uma ficha técnica é uma forma de mostrar mais claramente o caminho das pedras para que as pessoas tomem uma atitude. É aquele ’empurrãozinho’. Por fim, a vontade de falar das iniciativas urbanas vem do fato das cidades serem o grande cenário da vida contemporânea, mas ao mesmo tempo, por serem tão populosas, facilitarem o isolamento de quem mora nelas. Por isso, um dos objetivos do Formiga.me é criar redes e fortalecer pessoas que querem fazer ou estão fazendo algo para melhorar espaços compartilhados por todos. Quando cuidamos melhor daquilo que é nosso, como o espaço público, os outros passam a cuidar melhor dele também e a fiscalizar sua manutenção. É um ciclo virtuoso“.

Elas, como eu e você (talvez), acreditam no poder do trabalho de formiguinha para transformar as cidades (e o mundo!) em lugares melhores para se viver.

O financiamento coletivo funciona da seguinte forma: você contribui com a quantia que puder e quiser (20, 30, 40, 50, 100, 1000 reais…), ganha recompensas pensadas com carinho para incentivar a interação e a transformação da cidade, e ajuda o projeto a tomar forma, ganhar mais vida, mais visibilidade e força.

Vale saber mais sobre como contribuir, onde, quais as metas e objetivos do site e do Projeto: https://partio.com.br/projeto/formiga-me/

Vale ver o vídeo lindo: https://www.youtube.com/watch?v=6XU3JcD2nSY

Vale ver o site: Formiga-me

Vale seguir no Facebook pra não perder nenhuma matéria e nenhuma novidade: https://www.facebook.com/formiga.me

Se a gente pode fazer nossa parte também nessa empreitada, por que não, não é mesmo?!

Comentários

Comentários