.todas as vozes.

Não vão nos calar. Nem uma a menos. Eu não vim da sua costela, você que veio do meu útero. Meu senso crítico não é TPM. A mídia é machista. A cada 90 minutos, uma mulher é morta no Brasil. O machismo mata, o feminismo liberta. Meu corpo, minhas regras. Legaliza o aborto. Eu paro pela vida das mulheres. Não me mate se eu não te quiser mais. Essa dor é sua. Quem ama não mata, não humilha e nem maltrata. Nossas vidas importam. Tire seu machismo do caminho. Pelo fim da violência obstétrica. Respeite minha existência ou espere resistência. Não é não! Parem de nos matar. Existo porque resisto. Nem recatada e nem do lar, a mulherada ta na rua pra lutar. Violência contra a mulher também é problema social. Respeita as mães, porra! Todas juntas. Das ruas não sairemos. Nenhum direito a menos. Fora Temer. O feminismo nunca matou ninguém, o machismo mata todo dia. O feminismo é anticapitalista. Feminismo é a ideia radical de que as mulher são gente. Ensinem os homens a respeitar, e não as mulheres a temer. Meu útero é laico, e é meu. Sóbria ou chapada, vestida ou pelada, toda mulher merece ser respeitada. Não somos rivais. Companheira me ajude, eu não posso andar só. Eu sozinha ando bem, mas com você ando melhor. Lugar de mulher é onde ela quiser. Deixa as minas falarem. Menos flores, mais direitos. Por todas aquelas: presas, ameaçadas e amedrontadas. Lutar sem temer. A nossa luta é todo dia, o nosso corpo não é mercadoria. Se nossas vidas não importam, produzam sem nós.  Se cuida, seu machista, a América Latina vai ser toda feminista. Vulva a revolução!

Fotografia de Beatriz Rogatto
Na foto: a linda Jéssica Franco

(Dia 8 de março de 2017 nos encontramos nas ruas. Foi lindo!
Mas juntas estamos todos os dias na mesma labuta.
Não me esquecerei da força que temos. Obrigada!)

Resultado de imagem para spotify

Música pra embalar todos os nossos 365 dias da mulher.

Indico também as fotos de Marina Sampaio: http://www.mamsampaio.com/projects/6391844

Comentários

Comentários