.10 lugares para visitar sem sair de casa.

Viajar é uma das coisas mais maravilhosas da vida. Toda vez que a gente sai do bairro, do estado, do país, um mundo inteiro se abre. É engraçado como o desconhecido tende a nos surpreender e ensinar. As cores e os cheiros são outros, os sabores também. Até as pessoas que, como nós, têm boca, olhos e coração, exalam essa novidade toda que só um cenário diferente oferece. Talvez a mágica aconteça por conta de nossos olhos e ouvidos estarem mais abertos, e de nossa alma se sentir, de certa forma, mais livre. É clichê, e pode até parecer exagerado, mas viajar não tem a ver só com destino, monumentos e fotografias, viajar tem a ver como nossa disposição para arriscar, experimentar e nos deslumbrar.

Nem sempre dá pra sair pelo mundo. Falta tempo, falta dinheiro. Mas pensando nisso, dei-me conta, de que muita vezes coloquei o pé em outros lugares sem sair do lugar. Um bom enredo, com um bom mapa (cheio de detalhes) e aquela vontade verdadeira de explorar e se encantar, pode nos levar a mundos totalmente novos.

As boas histórias de aventura e fantasia servem também pra isso.

Vai dizer que você nunca se imaginou dentro de um desses lugares imaginários cheios de desafios e beleza? Eu sim. E, embora os mapas e lugares pareçam, em sua maioria, ser direcionados para o público infanto-juvenil, com um pouco de sensibilidade e ócio, até o adulto mais carrancudo é capaz de se surpreender com eles. Vai por mim: cada um deles vale pela leitura, pela descoberta e pelos mapas que são lindos. 

.viagem de trem. 

Até o ânimo precisa de descanso pra continuar. Tempo pra ver as coisas de olhar aberto e alma cheia de vontades. Desses descansos em que há momento pra sentir carícia de vento e para ouvir as histórias de lugares distantes. Não essas pausas curtas pra sono. Espaço para desbravar as mensagens de nuvens e os sorrisos das pessoas que ainda não moram dentro de nós. As vezes, descansar pede silêncio. As vezes, não. As vezes, quer solidão. As vezes, não. As vezes, o que se precisa é imensidão. Ver as coisas passando sem nada deixar passar. Pra repetir em si, toda vez em que a calma for pouca e a inspiração ficar menor, pedaços de sóis, ranhuras de pedras bonitas e horizontes que não se findam de beleza. Descanso verdadeiro em que o corpo cai pesado de leveza no final do dia, e suspira renovado.

 

.oração pra caminhar.

Pisar devagar pra olhar ao redor. Respirar fundo pra sentir mais. Parar na calmaria de poucos sons. Perder-se nas luzes dosestrada - Grant Haffner edifícios desconhecidos, por entre as placas das ruas que nunca se esteve. Seguir cursos de rio, percorrer pessoas e explorar paisagens. Descobrir novos tons de azul no céu e todas as formas de luz que um dia pode ter. Esquadrinhar cada pensamento solto e aprofundar cada lágrima que ameace cair. Sorrir para quem cruzar o caminho. Ler cada frase escrita nos muros. Decifrar desenhos, descansar embaixo de árvores e colher todos os frutos amarelos e cor de laranja. Reparar bem em cada ser que respire, pra se aproximar pela semelhança e aprender pelas diferenças. Guardar toda lembrança boa em forma de folhas, pedras e palavras. Correr riscos, ir à beira de precipícios e escalar paredes em para sair de poços fundos. Fotografar amanheceres e o passar do tempo. Ver nas bifurcações mais possibilidades do que medos. Ter nortes pra saber onde ficam também o leste, o oeste e o sul. Rabiscar rotas e roteiros em guardanapos. Atravessar pontes, espelhos e portas. Olhar com carinho pra tudo que se veste de destino e com boa vontade pra o que surpreende feito acaso. Pra não se deixar devorar pelo que se fantasia de obrigação e necessidade e nos destrói lentamente a alma e a imaginação, que todo momento seja caminho. De um nascer do sol a outro, que todo vento, conversa e raiz sejam elos. Que a jornada seja história. E que a vida, por si mesma, seja viagem, estrada e impulso.

Amém.

Versão Spotify: Pé na estrada (com as músicas que não consegui baixar: “Ilegal, imoral ou engorda”, do Roberto Carlos e “O vento vai responder”, versão de Bob Dylan por Zé Ramalho)  

Boa viagem!
https://ondebrilhemosolhos.wordpress.com/

.Belo Horizonte – Ouro Preto – Mariana/MG.

image_1Estive em Minas neste feriado. Quatro dias de História e Arte, lindos horizontes, comida delícia, sotaque, boa companhia. Um pouco de fé, muito de amor. Eu trouxe fotos que não representam o que vi e vivi. Na memória, to levando pra sempre aquelas risadas, aqueles olhares, nossas resenhas e um monte de sentimento sobre o mundo, a vida e as coisas todas ao redor. Porque as cidades mineiras que visitei foram recantos de paz e sonho, pra mim. Foi bem bom, e tenho que dividir.

Por que ir para Ouro Preto e Mariana?

  • Arquitetura colonial e lindas Igrejas do mesmo período, decoradas pelas mãos de artistas como Aleijadinho e Mestre Ataíde.
  • Ouro Preto foi a primeira cidade brasileira a ser declarada, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade, no ano de 1980.image
  • É uma aula de História ao ar livre sobre a escravidão, os bandeirantes, a exploração do ouro, a inconfidência mineira, Tiradentes e muito mais.
  • É uma aula de Arte sobre o Barroco brasileiro.
  • 1/3 do ouro do mundo foi tirado de Ouro Preto e cidades vizinhas.
  • Mariana foi a primeira vila, cidade e capital do estado de Minas Gerais.
  • Porque a comida é divina, e tem a cerveja Ouropretana.
  • Mariana foi também, no século XVII, uma das maiores cidades produtora de ouro para a coroa Portuguesa.
  • Porque dá pra se fazer o passeio de trem Ouro Preto/ Mariana.

Por que ir para BH?

  • Cidade grande com gente bacana.
  • Centro histórico e monumentos surpreendentes e lindos.
  • Porque abriga muitas exposições e referências a artistas mineiros sensacionais, como João Guimarães Rosa, Carlos Drummond de Andrade, Sebastião Salgado, Lígia Clark, e mais.
  • É uma cidade a se desbravar. Tem a Pampulha, por exemplo, que não pude conhecer, mas prometo ir em breve. E deve ter tanto mais que nem pude saber ainda…

image_4 Ouro Preto 2015 650

Praça da Liberdade, BH, e Trem de Mariana para Ouro Preto. 

??????????????????????????????? ???????????????????????????????

 Vista do Trem a caminho de Ouro Preto, e fachada da estação ferroviária de Ouro Preto. 

Ouro Preto 2015 736 Ouro Preto 2015 632

Mina do Chico Rei, Ouro Preto, e Estação Ferroviária de Mariana. 

??????????????????????????????? ???????????????????????????????

 Café Cultural, em Ouro Preto, e Praça Minas Gerais, vista da Câmara, em Mariana. 

??????????????????????????????? ???????????????????????????????

Lago dentro da Mina da Passagem, Mariana, e Casa dos Contos, Ouro Preto. 

??????????????????????????????? ???????????????????????????????

 Casa dos Contos, em Ouro Preto. 

??????????????????????????????? ???????????????????????????????

 Casa dos Contos e vista da Praça Tiradentes,  em Ouro Preto. 

O que vimos em BH: 

Passei apenas o período da manhã em BH, e foi suficiente pra eu ficar com gostinho de quero mais.
Ficamos das 7h30 da manhã até as 14h rodando pelo Centro (uns 7 km, com deliciosas paradas para pão de queijo, almoço e pipoca).

Praça da Liberdade
A construção da praça foi iniciada na época da fundação da nova capital mineira 
1895-1897).
É um circuito cultural composto por Centro Cultural Banco do Brasil, o Espaço do 
Conhecimento UFMG, o Museu das Minas e do Metal, o Memorial Minas Gerais, o Centro 
de Arte Popular, a Casa Fiat de Cultura, o Centro de Formação Artística, e o 
Horizonte SEBRAE. Possui também quatro espaços públicos: o Palácio da Liberdade, 
a Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, o Arquivo Público Mineiro e o Museu Mineiro.
Mesmo as fachadas onde não entramos são lindas de admirar, e praça por si só já vale a pena. 
Ah! E tem wi-fi, que sempre pode ser útil pra quem viaja, né?.
Centro Cultural Banco do Brasil
Memorial Minas Gerais - Vale
http://www.memorialvale.com.br/
O prédio que abriga o Memorial Vale era a sede da Secretaria do Estado da Fazenda de Minas Gerais. A edificação 
histórica datada de 1897 é o local onde foi lançada a pedra fundamental da cidade de Belo 
Horizonte. A construção é tombada pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e 
Artístico de Minas Gerais – IEPHA/MG.
 Tem um café super fofo com referências de Moda, e exposições permanentes de Sebastião 
Salgado, Carlos Drummond de Andrade, Guimarães Rosa e Ligia Clark.
Mercado Central Novo e Velho
De 1929.
http://www.mercadocentral.com.br/
Nos arrependemos de não ter comprado queijos em pelo menos um dos dois mercados em que 
entramos!).
Estação Ferroviária de BH
De 1895.
De lá sai o trem para o Espírito Santo. Deve ser uma viagem e tanto! 
Parque Municipal
O Parque Municipal Américo Renné Giannetti, com 180.000 m², foi fundado em 1827 e 
reestruturado em 1992.
Tem um lago bacana (com barquinhos pra passear), tem um teatro, tem um parque com 
carrossel e barraquinhas de pipoca. =)

O que vimos em Mariana:

O centrinho da cidade é pequeno e lindo. A praça Gomes Freire  abriga ao redor a maior quantidade de bares e restaurantes (mas não são muitos, de qualquer modo!), e é por ali que você conseguirá subir para a Praça Minas Gerais onde estão localizadas a Câmara, e as igrejas São Francisco e Nossa Senhora do Carmo.

Igreja Nossa Senhora da assunção (Catedral Basílica da Sé)
De 1704.
R$5 - pra ver a Igreja e o Museu)
Museu Arquidiocesano
O museu tem a imagem de muitos santos e suas histórias. Foi um ótimo começo!
Mina da Passagem
R$39,00 (mas acho que estava mais caro por conta da Semana Santa. Tínhamos visto na 
internet que o preço era R$30. Vale se informar!)
Foi uma longa espera de quase 1 hora em baixo de sol pra conseguirmos entrar na mina. 
Tenso!
É a Maior Mina de Ouro aberta a visitação do mundo. A descida ( 315m de extensão e 120m 
de profundidade) acontece por meio de um carrinho (trolley), Desde a sua fundação no 
início do século XVIII, foram retiradas aproximadamente 35 toneladas de ouro. 
É uma mina explorada industrialmente, por isso as galerias são maiores e mais fáceis de 
caminhar.
Como chegar: O ônibus que faz o percurso Ouro Preto/ Mariana passa na frente da entrada.
é só pedir pro cobrador avisar!)
Câmara e Antiga Cadeia
Ficamos pensando em como devia ser mórbido trabalhar num prédio acima de uma cadeia. Todo 
dia ir embora pra casa e ter que passar por ela, com escravos maltratados, por gente na 
solitária... E essa organização "Câmara/ Cadeia" se repete em Ouro Preto.
Estação Ferroviária da Vale (Passeio de Mariana até Ouro Preto)
Fizemos o passeio com vista Panorâmica - as janelas de vidro são maiores e os bancos são 
mais bonitos: R$60 (ou R$30, para estudantes. 
Professores, como eu, não têm desconto! )
O passeio dura uns 45 minutos.
Se você levará crianças nessa viagem, vale muito passar um tempo na estação, que tem um 
parque com alguns brinquedos musicais incríveis! E tem balanças!
Importante: Sentem-se do lado esquerdo do trem! Melhor pra ver e fotografar. 

O que vimos em Ouro Preto:

Mina do Chico Rei (Encardideira)
Rua Dom Silvério, 108
R$15
A mina, que antes era chamada de Encardideira, foi escavada artesanalmente, e distribuída em cinco níveis. Possui uma galeria de 11.500 metros, e está iluminada apenas no túnel 
inicial , até o chamado salão de cristais, que é um átrio a partir do qual sai um túnel 
mais elevado. Suas galerias passam por baixo da cidade, até a Casa dos Contos e a Escola de Minas, antigo palácio do Governador. 
Conta a tradição oral que Chico Rei e outros escravos escondiam ouro entre os cabelos ao 
saírem da mina e mais tarde lavavam-os na pia batismal da igreja, sendo acobertados pelos 
religiosos. 
Com esse ouro, Chico Rei (Galanga) comprou sua alforria e a mina, e com o ouro que foi 
retirando de lá comprou a alforria de muitos outros escravos.
Casa dos Contos
Construída entre 1782 a 1784, serviu inicialmente como residência a João Rodrigues de 
Macedo, e Casa dos Contratos,do arrematante da Arrecadação Tributária das Entradas e 
Dízimas. 
Nessa mesma época, serviu como esconderijo para osmembros da Inconfidência Mineira. 
O acervo conta com peças da casa da moeda, muitos livros e documentos antigos, além de 
muitos objetos e móveis da época. 
Na senzala consegue-se imaginar a precariedade em que viviam os escravos. Além disso, 
também na senzala encontram-se expostos documentos de compra e venda de escravos, e notas 
de jornal sobre recompensas para quem encontrasse escravos fujões.
Morro da Forca
O Morro da Forca foi palco de um festival de rock 
(http://www.culturaemrevista.com.br/index/exibe_noticia2.php?id=1150), 
e nos proporcionou uma vista noturna linda da cidade. 
Dizem que depois da morte de Tiradentes, via-se no Morro da Forca um frade andando com a 
cabeça do mártir nas mãos.
Museu dos Inconfidentes
R$10
Grande acervo! (e os guardas que cuidam da organização das pessoas são super sorridentes, 
educados e bons guias. Vale a pena tirar dúvidas com eles, e dar espaço pra uma conversa)
Assim como em Mariana, o prédio era a Câmara e a Cadeia...
Praça Tiradentes
É o ponto central de Ouro Preto, com grande valor histórico, enorme oferta de serviços 
(restaurantes, cafés e lojinhas) e onde se localizam o Palácio dos Governadores, 1760, 
que hoje é o Museu de Ciência e Técnica e a Casa de Câmara e Cadeia, de 1780, que hoje é o 
Museu do Inconfidente, além dos fundos da Igreja Nossa Senhora do Carmo e o monumento a 
Tiradentes.
Igreja de São Francisco de Assis
R$10
Suas obras começaram na segunda metade do século XVIII, em 1766, sendo finalizadas na 
primeira metade do século XIX, em 1810. Foi projetada e ornamentada por Antônio Francisco 
Lisboa, Aleijadinho, que passou vinte e nove anos trabalhando nessa arquitetura, e 
pintada por Manuel da Costa Ataíde, o Mestre Ataíde. Possui muitas esculturas em pedra 
sabão, peças revestidas de ouro e muito mais.
Igreja Nossa Senhora do Pilar
R$15
Uma das mais douradas que visitamos. Possui mais de 400kg de ouro.
Feirinha de artesanato com Pedra Sabão
Pra comprar lembrancinhas.

Onde comemos (e bebemos):

image_2
Tutu de Feijão – Bistrô, em Mariana.

Bistrô (em Mariana)
Salomão Ibrahim, 61A- Centro
Com direito a um prato generoso de tutu de feijão, couve, arroz, linguiça… que conseguimos dividir em três sem sofrimento. (metade do tutu ainda foi pra geladeira do apartamento em que ficamos).

Casa do Ouvidor (Ouro Preto)
Rua Direita 42, Ouro Preto
Dia de feijão tropeiro, também dividido por três, cerveja Ouropretana e uma dose de cachaça da casa, porque ninguém é de ferro, né?

Cafe Cultural (Ouro Preto)
Rua Cláudio Manuel 15, Ouro Preto
Variedade de cafés bacanas e chás. O ambiente é lindo, a música é boa, e o cardápio é delicioso e de bom gosto.

Porão Pub (Ouro Preto)
Rua Padre Marcelino, 2421, Ouro Preto
Steek de queijo canastra e cervejinhas.

image_3
Cerveja e Cachaça, na Casa do Ouvidor, em Ouro Preto.

Adega Ouro Preto
Rua Teixeira Amaral 24
Self Service de primeira.

Chopp Real (Ouro Preto)
Rua Barão de Camargo, 8
Bem localizado, ambiente gostoso, cervejas comuns a R$10.

Quinto do Ouro (Ouro Preto)
Rua Direita 76, Ouro Preto
Self Service simples, mas gostoso.

Pão de Queijo/Hamburgueria (Ouro Preto)
(do lado do ponto de ônibus, em frente a Escola de Minas)
Lanche de pão de queijo, rápido e no capricho.

Como fomos:

Ida:
Para encontrar uma amiga que já estava em Minas Gerais a trabalho, fomos de São Paulo para Belo Horizonte, ao invés de ir direto pra Ouro Preto.
Preço da passagem: R$101,60 (ônibus Convencional – Viação Cometa)
Tempo de viagem: entre 8 e 9 horas (saída de Sp às 23h15)

De BH para Ouro Preto tivemos uma caroninha espeeeeerrrtaaa. =)

Volta:
De Ouro Preto para Belo Horizonte
Preço da passagem: R$28,50 (ônibus Convencional – Viação Pássaro Verde)
Tempo de viagem: 2h30 por causa de um trânsito leve. O tempo previsto era de 2 horas. (Mas é bom ficar esperto se for feriado, e se for pegar outro ônibus ou avião. Saia com algum tempo de folga. Nosso ônibus saia de BH às 22h45, e saímos de Ouro Preto às 19h30).

De Belo Horizonte para São Paulo:
Preço da passagem: R$107,39 (ônibus Convencional – Viação Cometa)
Tempo de viagem: 9 horas (saída de BH prevista para 22h45, efetivada só às 23h30).

Onde ficamos:

AirBNB em Mariana, que é uma cidade vizinha à Ouro Preto.
20 minutos de ônibus circular, com saída de meia em meia hora de lá pra cá, de cá pra lá. (das 5h30 às 23h30)
Em Mariana, ficamos na Avenida Nossa Senhora do Carmo, perto da rodoviária, e a uns 15 minutos do Centro Histórico (de Mariana) a pé. Pra quem gosta de andar e papear foi “de boa”. Mas se conseguir se hospedar em Ouro Preto, melhor. =)