.sobre comida.

Recentemente, assisti à uma série curta do Netflix chamada Cooked, em que Michael Pollan fala sobre alimentação (desde os primórdios), comida de verdade e as vantagens de fazer a própria comida com prazer. Uma das afirmações mais interessantes que achei foi a de que atualmente chovem programas de culinária na TV no mesmo momento em que as pessoas têm comido cada vez mais comida enlatada, processada e/ou congelada. A mesma comida e arte de cozinhar que fazem brilhar os olhos de quem assiste Masterchef e Bela Cozinha dividem espaço com a moda de Food Trucks, receitas gourmet e apps de pedidos de comida pronta.

Se por um lado, isso só confirma nosso absoluto distanciamento do que nos é natural, por outro, pode significar uma tentativa (ou vontade) de voltar às origens. As pautas sobre glútem, dietas Paleo e Low Carb, e as discussões sobre orgânicos nunca estiveram tão em evidência (ao menos, na minha timeline e nas conversas entre amigos). E eu quero acreditar que tudo isso pode servir pra que aconteça uma mudança de sentido e modo de enxergar a alimentação.  Refletir sobre o que nos cerca é o primeiro passo pra mudança em todos os aspectos da vida, em todos os aspectos do mundo. No que se refere à comida também.