.Sessão da Tarde/ Cinema em Casa. – 10 filmes de Aventura

A gente era feliz e não sabia…

Passar a tarde em casa assistindo os filmes mais legais (ou bizarros) nos canais de TV Aberta foi um formador de caráter definitivo para uma geração inteira. Todo mundo que viveu durante os anos 80, 90 e comecinho dos anos 2000, no Brasil, deve ter tido essa experiência. E quem não viveu, deveria ter a chance de conhecer cada um desses filmes!

O filmes se repetiam muito (é verdade!), alguns não eram para o público infantil (fato!), mas grande parte deles valorizavam a imaginação, a infância e a força da amizade. Pensando bem, deu pra aprender um monte de coisas legais com eles enquanto a gente passava o tempo.

Essa é só a primeira lista de muitas, e vai ser do meu gênero preferido até hoje: Aventura! E, pode acreditar, revê-los com nosso olhar adulto é bem divertido e nostalgicamente bom!

  • ET – O Extraterrestre (E.T. The Extra-Terrestrial)Resultado de imagem para et capa

    – 1982
    Direção: Steven Spielberg

Sinopse: Um garoto faz amizade com um ser de outro planeta, que ficou sozinho na Terra, protegendo-o de todas as formas para evitar que ele seja capturado e transformado em cobaia. Gradativamente, surge entre os dois uma forte amizade.

Dá pra ver a Drew Barrymore bem novinha! E um dos melhores filmes de todos os tempos, acho.

  • GremlinsResultado de imagem para gremlins filme

    – 1984
    Direção: Joe Dante

Sinopse: Rand Peltzer (Hoyt Axton) é um “inventor” que, ao tentar dar um presente natalino único para seu filho, Billy Peltzer (Zach Galligan), compra em Chinatown um Mogwai, um ser aparentemente gracioso. Mas o dono, um velho chinês, não queria vendê-lo por dinheiro nenhum, pois ter um Mogwai envolve muitas responsabilidades. Entretanto, o neto do ancião o vende por duzentos dólares e diz as regras essências para ter um Mogwai: nunca colocá-lo diante de uma luz forte e muito menos na luz solar, que pode matá-lo; nunca molhá-lo e, a regra principal, nunca o alimente após a meia-noite, mesmo que ele chore ou implore. Rand ouve o aviso sem dar a devida importância e leva o Mogwai para sua casa em Kingston Falls, uma pequena cidade. Paralelamente, Billy trabalha como caixa de banco e sofre com as exigências de Ruby Deagle (Polly Holiday), uma cliente igualmente rica e antipática. Além disto tem de aturar o pedante Gerald (Judge Reinhold), que quer usar sua posição para conquistar Kate Beringer (Phoebe Cates), a namorada de Billy. Quando Billy recebe o presente fica maravilhado, mas as regras não são respeitadas. Assim, quando é molhado o Mogwai se multiplica assustadoramente e, alimentados após a meia-noite, se tornam criaturas más, que aterrorizam a cidade.

Pode ser colocado também na lista dos bizarros! E foi produzido por Steven Spielberg!

.dia do Índio – outro olhar.

Um amigo meu que é também professor escreveu: “Amanhã é dia de pintar o rosto e colocar pena na cabeça da criançada, pra homenagear quem sofre golpe desde 1500“. Ele que, diferente de mim, trabalha com turmas do Fundamental I, de 6 a 10 anos, conhece bem essa repetição anual que vem com o pacote completo de pena na cabeça, cara pintada, índio sem roupa e de arco e flecha na mão, música da Xuxa, algumas lendas e nenhuma discussão e desconstrução. Isso também se repete para aos alunos mais velhos ou simplesmente nada se fala sobre o Dia 19 de abril. Mas dá pra ser diferente.

Existe uma quantidade enorme de formas de abordar as questões indígenas em sala de aula. E, mais do que isso, existe conteúdo bastante bom pra todo mundo que mora fora das aldeias, mas sabe que precisa entender de questões que saem do âmbito do próprio umbigo.

As reflexões cabem a todos, o conhecimento cabe a todos e a desconstrução de um imaginário ultrapassado também.

Em sala de aula, a gente cria jeitos de tornar o assunto atrativo e propor discussões. Neste ano, como ponto de partida, usei fotos (aqui, aqui e aqui), dados do IBGE e reportagens recentes sobre a questão indígena. O ponto de partida para nossas conversas sobre tudo que olhamos foram 5 palavras: História, contexto, empatia, análise e questionamento.
Clique aqui para ver a primeira etapa do trabalho dos alunos

Eu, nas minhas aulas de Português e de Projeto (de Escrita e Fotografia), e a professora de Ciências, em suas aulas, nos organizamos para trazer informações novas aos alunos para garantir que essa semana não passasse em branco. Na próxima semana, juntas, vamos passar um vídeo (A luta dos povos esquecidos) para as turmas de 8° ano (nossos alunos mais velhos) para aprofundar a discussão. 

Sendo ou não professor, sendo ou não aluno, as indicações que se seguem se fazem necessárias para a formações de um olhar mais humano e, ao mesmo tempo, politizado sobre as questões indígenas:

Livro: Coisas de Índio (Daniel Munduruku)Resultado de imagem para Coisas de índio: versão infantil

O livro Coisas de Índio traz o olhar indígena para suas próprias vivências e as pluralidades existentes
nessas.
Daniel Munduruku é nascido em Belém, escritor e professor brasileiro, pertencente à etnia indígena mundurucu. É graduado em filosofia, história e psicologia. Tem mestrado em antropologia social pela USP. É doutor em educação também pela USP. É Diretor-Presidente do Instituto Uk´a – Casa dos Saberes Ancestrais.
Além desse, ele tem muitos outros livros sobre a questão indígena.
As Salas de Leitura das escolas e Bibliotecas da Prefeitura de São Paulo têm alguns títulos, além do Coisas de Índio: Kaba DarebuHistorias de ÍndioCrônicas de São PauloHistórias que Eu Vivi e Gosto de Contar, e outros.

.papo, diálogo, conversa – 15 filmes.

Nada substitui uma boa conversa. Nada mesmo: nem uma noite de solidão, nem anos de de terapia, nem longas DRs por mensagens de texto. Coração aberto, olho no olho e palavras soltas ainda são o melhor jeito pra saber sobre o outro, para ouvir o que outro tem a dizer, para acertar ponteiros, para se apaixonar, para pedir perdão e para perdoar (inclusive a si mesmo), para transformar as coisas, para fazer sorrir, para encontrar saídas.  Até quando é sem pretensões, até quando é leve, o diálogo tem valor porque sempre abre alguma portinha importante dentro da gente, que a gente pode escolher atravessar ou não.

Alguns filmes bem bacanas são praticamente inteiros baseados na conversa de duas pessoas. Cabe aqui a lista que tento terminar há meses… mas que adoraria ver aumentar.

Trilogia: Before Sunrise (Antes do Amanhecer), 1995
Before Sunset (Antes do Pôr-do-Sol), 2004
Before Midnight (Antes da Meia-Boite), 2013

DiretorRichard Linklater
País: EUA
Atores e personagens: Jesse (Ethal Hawke) e Celine (Julie Delpy)
Algo sobre o filme: Aos filmes mantêm os mesmos atores e a passagem natural (real) do tempo.

Seeking a Friend for the End of the World
(Procura-se um amigo para o fim do mundo), 2012

DiretorLorene Scafaria
País: EUA
Atores e personagens: Dodge (Steve Carell) e Penny (Keira Knightley)
Algo sobre o filme: Se você soubesse que o mundo vai acabar amanhã, quem você escolheria para passar seus últimos momentos?

.melhores filmes do (meu) ano de 2016.

A gente sabe que o ano que passou foi produtivo quando nota que mudamos algo pra melhor. Estava na minha listinha de metas “assistir mais filmes”, já que andei 2015 inteiro enroscada em milhares de séries que, sim, tomaram meu tempo de ver bons filmes e ler mais livros. Não que eu tenha me desvencilhado delas completamente (nem quero!), mas em 2016 consegui equilibrar melhor essas delícias. E minha lista de filmes vistos atingiu a surpreendente marca de 108 filmes inéditos + 2 repetecos (Fight Club e Love, Rosie).

E, agora, pós merecida pausa, resolvi fazer aquela listinha bacana dos 15 + de 2016.

2016 – Captain Fantastic (Capitão Fantástico) – EUAcf

Gênero: Comédia dramática
Direção: Matt Ross
Sinopse e trailer aqui e aqui.

Comentário(zinho): Não é a toa que foi o melhor filme que vi neste ano. É sensível e inteligente na medida. Mote pra uma série de boas reflexões sobre família, mundo e a vida como ela é (pode ser).

Ainda está no cinema Bristol (Av. Paulista), Reserva Cultural (Av. Paulista) e Espaço Itaú Unibanco (Frei Caneca), e vale cada centavo gasto. 

.sobre quem importa.

Hoje é o dia do aniversário de uma das pessoas que mais amo. Uma amiga feita pra morar na minha vida pra sempre. Daquele tipo que cabe em todos os clichês: ombro pra chorar, motivos pra brindar e muitas muitas histórias pra contar.

Me ocorreu, então, a lista a seguir:

Grandes filmes sobre amizade 

(porque todo mundo merece ter na vida um grande amigo pra seguir junto e amar intensamente)

  • Conta comigo (1986)

Resultado de imagem para stand by me film phrase
Sinopse: Gordie Lachance é um escritor que recorda de um acontecimento pessoal no verão de 1959, quando tinha doze anos. Vivia numa pequena cidade do estado americano do Oregon e possuía três amigos que em certo dia saem juntos em busca do corpo de um adolescente que estava desaparecido na mata há mais de três dias. O que eles não imaginavam é que esta aventura se transformaria em uma jornada de auto-descoberta, que os marcaria para sempre.

  • Tenha fé (2000)

Sinopse: Grandes amigos desde criança, Brian Finn (Edward Norton) e Jacob Schram (Ben Stiller) são jovens dinâmicos e populares que vivem e trabalham no Upper West Side, em Nova York. Com uma diferença aos demais jovens de sua idade: Brian padre e Jacob um rabino. Quando Anna Reilly (Jenna Elfman), uma antiga amiga de colégio e agora uma bela executiva, retorna cidade, ela entra na vida e nos corações de Brian e de Jacob, formando um complicado triângulo amoroso.