.nota sobre o amor.

Fica, não fica. Beija, não beija. Casa, não casa. Trai, não trai. Volta, não volta. Perdoa, não perdoa. Dura, não dura. Investe ou não. Liga, não liga. Transa, não transa. Responde, escreve, desliga, espera. Vai, não vai. Quer, não quer. Será? E se…? Vez ou outra amar parece labirinto, com suas mil entradas possíveis e tantos […]

.a utopia.

Sou dada a utopias. Porque sem elas não faria nenhum sentido estar aqui, no meio desse caos, todo dia, ora contra corrente, ora sendo levada por ela. Porque conheço gente que muda o mundo um pouco todo dia, a começar por si mesmo, suas verdades e suas recusas. Entendo que a utopia é distante, mas […]

.doce solidão.

Não é íntima a palavra. Íntimo é o silêncio. Que circunda todo o espaço, que abraça toda a casa, e convida o outro a entrar. Se abrigar nas entrelinhas, do que é mais sincero: suspiro no meio do dia cheio e, em seguida, paz. Íntimo é o silêncio, cercado de calmaria, que enche a sala […]

.identidade.

As pessoas e seus defeitos. As pessoas e seus deslizes. As pessoas e os medos. As pessoas e a busca. As pessoas e seus receios e cautela. As pessoas e suas repetições. E suas manias. E seus vícios. As pessoas e seus disfarces. As pessoas e seus esconderijos secretos. As pessoas e suas tristezas. Elas […]